Alergia Alimentar

Alergia alimentar é uma condição clínica resultante de reações imunológicas após a ingestão de proteínas alimentares, em indivíduos previamente sensibilizados. Ocorre em cerca de 8% das crianças.

Causas

Os alimentos mais freqüentemente envolvidos são o leite de vaca, ovo, trigo e soja, sendo responsáveis por cerca de 90% dos casos.

A maioria das reações ocorre devido à sensibilização a apenas um ou dois alimentos. Pacientes portadores de alergia a três ou mais alimentos diferentes são menos frequentes.

A lactose, por ser um carboidrato, não provoca alergia e sim intolerância, por deficiência da enzima lactase.

O número de aditivos alimentares (incluindo os corantes) implicados em reações alérgicas é pequeno. Alguns corantes, principalmente o amarelo é um dos mais comuns nas manifestações alérgicas.

 As manifestações cutâneas e gastrointestinais são as mais freqüentes4:

  • Urticária é caracterizada por eritema, rachaduras ou feridas e coceiras.
  • O angioedema é o mesmo fenômeno da urticária, porém acometendo a derme, levando ao edema de pálpebras, lábios, língua, bolsa escrotal e de mãos e pés.
  • A dermatite atópica é a manifestação alérgica que pode provocar mais coceiras, podendo levar a escoriações e assumindo uma distribuição característica em dobras de joelhos, braços, nos pacientes maiores.

A síndrome oral alérgica é de início rápido, com prurido e desconforto nos lábios, língua e orofaringe, podendo haver sensação de aperto na garganta e angioedema. Alguns pacientes apresentam vômitos de início súbito, bem como diarréia e dor abdominal.

A alergia alimentar é responsável por 50% dos casos de anafilaxia, com hipotensão arterial, arritmia cardíaca e comprometimento respiratório. Anafilaxia associada ao exercício ocorre com a realização de exercício físico 2 a 4 horas após a ingestão do alimento causal. Durante o repouso, o mesmo alimento não causa sintoma algum.

Asma é rara como manifestação isolada de alergia alimentar, mas pode se agravar na presença de derivados lácteos formadores de muco. Pode ser acompanhada de sintomas cutâneos e gastrointestinais.

Vários estudos já foram publicados tentando associar otite média (inflamações do ouvido) recorrente ou sintomas nasais crônicos com a sensibilidade a alimentos. Entretanto, ainda não dispomos de trabalhos de qualidade que dêem sustentação para esta associação, embora haja evidências.

Tratamento

 A forma mais eficaz de tratamento de alergia alimentar é excluir totalmente da dieta do paciente o alimento identificado. Até o momento, não se aplicam vacinas orais para tratamento de alergia alimentar.

Fórmulas lácteas extensamente hidrolisadas devem substituir o leite de vaca. As fórmulas hipoalergênicas (HA) não são isentas de alérgenos, sendo passíveis de provocar reações em indivíduos sensibilizados.

Fórmulas de soja são freqüentemente utilizadas como substitutas de fórmulas do leite de vaca porém, não são adequadas para menores de seis meses de idade sem um acompanhamento adequado.

A hipersensibilidade alimentar pode desaparecer com a idade, mesmo nos casos de reações graves.

Como agir, caso se confirme algumas sensibilidades e a dieta de exclusão tenha sido estabelecida?

1. Deve-se tentar reintroduzir o alimento em pequenas quantidades num prazo que será definido pelo profissional que acompanha o caso, para verificar se o paciente já desenvolveu tolerância ou não.

Cuidado: Dietas de exclusão múltiplas e prolongadas podem acarretar problemas nutricionais sérios.

Crianças com histórico de anafilaxia devem ter epinefrina auto-injetável sempre à disposição.

Anti-histamínicos são úteis apenas para diminuir os sintomas como o prurido da urticária e dermatite atópica. Eles não são capazes de impedir uma reação a um alimento. O mesmo ocorre com os corticosteróides.

Prevenção

Dietas de exclusão alimentar durante a gestação não se mostraram eficientes na prevenção da doença alérgica do lactente de risco para atopia. Denomina-se lactente de risco aquele com parentes de primeiro grau atópicos (pais ou irmãos).

O aleitamento materno deve ser exclusivo até os seis meses. Após este período, os alimentos apropriados para a faixa etária podem ser introduzidos, de maneira gradativa, como para qualquer outro lactente.

Enfim os alimentos devem ser experimentados várias vezes até que se confirme a reação alérgica. Caso se confirme, um tratamento poderá ser sugerido.

Fonte: biomedcentral.com

As manifestações alérgicas incomodam muito, causam mal estar e muitas vezes risco de vida . Portanto, não devem ser encaradas como um fato comum e sem necessidade de acompanhamento médico. Os sintomas podem ser minimizados através de dieta adequada e medicação específica pra cada caso. Por isso deve ser tratada.

About these ads

Etiquetas:, , ,

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 31 outros seguidores

%d bloggers like this: