Pode a panela ter influência na nossa saúde?

 
Sim, as panelas podem interferir na nossa saúde e é sempre bom ter informações e conhecimento a respeito.Se quiser manter uma alimentação livre de substâncias tóxicas, tão importante quanto selecionar os alimentos é saber qual o utensílio mais adequado para prepará-los.
 ANTIADERENTE 

Permite a redução da quantidade de óleo usada no preparo das refeições.
VANTAGENS: seu revestimento interno de politetrafluoretileno (PTFE) impede a transferência do material de base da panela, geralmente alumínio, para a comida.
DESVANTAGENS: mesmo sendo utilizado há décadas nas frigideiras e em outros utensílios de cozinha a fim de se evitar que os alimentos grudem, vale lembrar que esse material antiaderente já esteve sob suspeita – ainda não confirmada – de permitir a formação de compostos cancerígenos, especialmente durante o preparo de alimentos com alto teor protéico, como carnes, ovos e leite.
DICA: o revestimento PTFE é um plástico que pode se desprender com relativa facilidade, então o ideal é usar colheres de pau nessas panelas revestidas, evitando arranhá-las com talheres e esponjas de aço na hora da limpeza.

INOX

Aço inoxidável é composto por ferro, cromo e níquel.

VANTAGENS: seu material é durável e demora a esfriar, mas também a esquentar. Geralmente tem fundo triplo, termodifusor, permitindo que o calor da chama se espalhe uniformemente. Assim, o alimento cozinha por igual e não gruda no fundo da panela.
DESVANTAGENS: o níquel é tóxico ao organismo e freqüentemente associado a males como dermatites de contato, alergias, distúrbios renais e hepáticos, infertilidade, câncer pulmonar, estomatite, gengivite, cefaléias, insônia e náuseas. Esses utensílios devem ser evitados por pessoas alérgicas ou que tenham sensibilidade ao níquel.
DICA: no primeiro uso, ferva água, que será descartada, por três ou quatro vezes consecutivas, na panela nova, para ajudar a eliminar o níquel que ela libera nessa fase. Para evitar o aparecimento de manchas, é aconselhável enxugá-la imediatamente depois de lavada.

Vidro

É uma panela muito boa e eu diria que de todas, em termos de segurança, é a melhor. Porém, ela queima a comida com muita facilidade. É preciso saber trabalhar com essa panela, saber o tempo que pode ficar no fogo e a hora de apagar a chama. Ela é interessante para fazer molhos e para guardar alimentos.

BARRO:

 Esse material poroso favorece a penetração de alimentos, facilitando a cultura de bactérias. Antes de usar pela primeira vez, a panela de barro deve ser curada com óleo para impermeabilizá-la. Há quem a deixe de molho em água fervente, em banho-maria, por 20 minutos. Técnica útil também para eliminar odores.
DICA: para evitar rachaduras, recomenda-se esperar a panela esfriar antes de lavá-la, o que deve ser feito sempre com esponja macia e detergente neutro.

CERÂMICA

As panelas de cerâmica com superfície marrom vitrificada devem ter selo de qualidade, garantindo a inexistência de compostos à base de chumbo. Seu excesso no organismo afeta o sistema nervoso central e pode levar a distúrbios de aprendizado e comportamento, cefaléias, vertigens e anemias.
DICA: as opções foscas e industrializadas são as mais seguras, por serem mais modernas. Cerâmicas artesanais ou decorativas, com mais de 20 anos, devem ser evitadas, uma vez que foram feitas em uma época em que não se conhecia o perigo da migração do chumbo das panelas para os alimentos.

FERRO

Durante o cozimento, o metal é repassado para a comida.
VANTAGENS: seu uso regular foi relacionado com a prevenção e o tratamento da anemia muito antes de a ciência comprovar sua eficácia. Por outro lado, esse tipo de panelas também pode alterar algumas características dos alimentos, como a cor (tornando-os mais escuros) e o sabor (que pode melhorar ou piorar). A sugestão, portanto, é escolher o alimento cujas propriedades sensoriais sejam aprimoradas com a panela de ferro, como é o caso do arroz.
DESVANTAGENS: evite armazenar comida nela, sob pena de aumentar muito a concentração de ferro, levando a distúrbios gastrointestinais, como a diarréia.
DICA: panelas de ferro são pesadas e se mantêm quentes por muito tempo. Por isso, prefira as que têm cabo de madeira, mais fáceis de manusear, além de evitarem queimaduras nas mãos de quem está cozinhando. Para não enferrujar, seque-as na chama do fogão. Lave-as imediatamente após o uso.

A de ferro você deve lavar assim que acabar de cozinhar o alimento e secar na chama do fogão. Caso o alimento grude e você tenha que fazer força, recomendo esfregar, mas depois coloque água na panela, ferver para que inove o revestimento natural que a panela faz nesta situação. A dica é deixar de molho com detergente e evite esfregar.

ESMALTADA.

 Também conhecidas como panelas de ágata, elas são feitas de ferro ou alumínio e revestidas de esmalte.
VANTAGENS: sua camada esmaltada age como barreira contra a proliferação de bactérias que podem contaminar os alimentos.
DESVANTAGENS: é desaconselhável o uso de utensílios fabricados antes de 1980: o esmalte usado na época pode conter elementos tóxicos como o chumbo, e os decalques na superfície interna, o cádmio, outro metal pesado. Seu uso já foi ligado à hipertensão, aterosclerose, disfunção pulmonar e infertilidade masculina.
DICA: para evitar o amarelamento do esmalte, pode-se passar álcool na superfície.

PEDRA SABÃO.

 Antiaderente natural, retém calor por muito tempo.
VANTAGENS: transfere aos alimentos, durante o uso, ferro, cálcio e manganês, metais benéficos ao organismo.
DESVANTAGENS: é pesada e não muito fácil de encontrar. É preciso ser curada antes do primeiro uso. Caso contrário, pode transferir quantidades indesejáveis de níquel aos alimentos. A cura é feita com óleo, azeite ou gordura e serve para impermeabilizar o material. Para fazê-la, unte a panela por dentro e por fora com óleo, azeite ou gordura. Em seguida, coloque água e deixe no forno médio (180ºC) por duas horas ou leve ao fogo e ferva por 40 minutos. Feito isso, espere a água e a panela esfriarem e repita a operação.
DICA: tenha cuidado redobrado na hora de limpar, pois podem se formar saliências na parte interna do recipiente durante o processo de cocção. Evite fazer frituras ou guardar alimentos dentro delas: durante esses processos pode haver migração de níquel para a refeição.

CUIDADO

 PANELAS DE ALUMÍNIO. Apesar da suspeita da relação do metal com o mal de Alzheimer, ninguém demonstrou ainda se sua presença no organismo dos pacientes seria uma causa ou conseqüência da doença. Mas sabe-se que a substância migra da panela para os alimentos, podendo desencadear diferentes processos metabólicos associados a doenças dos ossos, do sangue e neurológicas.

 Para limpar a parte interna use uma esponja macia, em vez da de aço. Quando o material é polido ou agredido com ácidos como o vinagre, a camada de óxido de alumínio, que dificulta a passagem do metal para a comida, é removida.


 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: