Slow Food

Tagliatelle de Tomate seco

O que é slow food e a que se refere exatamente?

O Slow Food é uma associação internacional sem fins lucrativos fundada em 1989 como resposta aos efeitos padronizantes do fast food; ao ritmo frenético da vida atual; ao desaparecimento das tradições culinárias regionais; ao crescente interesse das pessoas na sua alimentação, na procedência e sabor dos alimentos e em como nossa escolha alimentar pode afetar o mundo.

O Slow Food segue o conceito da ecogastronomia, conjugando o prazer e a alimentação com consciência e responsabilidade, reconhecendo as fortes conexões entre o prato e o planeta. Hoje conta com mais de 100.000 associados que formam e mantêm o movimento.

Slow food é comer melhor. É sentar-se à mesa diante de uma verdadeira refeição, em paz, na companhia de pessoas muito queridas (por “verdadeira refeição”, entenda-se pratos acabadinhos de preparar, fartos e saborosos). É investir tempo e energia para obter alimentos tão gostosos quanto saudáveis. É tornar o ato de comer uma experiência gratificante, prazerosa, que não somente nos mantém vivos como aguça nossos sentidos. Esquenta o coração. Guiadas pelo instinto de preservação, as pessoas estão mais atentas à qualidade de vida. É uma tendência planetária, e isso inclui comer melhor.

O que a confraria invisível do slow food está sinalizando é que para comer gostoso é preciso entrar no clima, sentir o presente, desvendar cada sabor, apreciar as formas, as cores dos alimentos frescos, perceber a conexão do que comemos com tudo e todos que estão à nossa volta.

Slow Food está comprometido com a proteção dos alimentos tradicionais e sustentáveis de qualidade, dos ingredientes primários, na conservação de métodos de cultivo e processamento e na defesa da biodiversidade tanto de espécies cultivadas como silvestres.

O Slow Food sustenta que a única forma de agricultura que pode oferecer uma perspectiva de desenvolvimento, especialmente para as regiões mais pobres do mundo, é aquela baseada na sabedoria de comunidades locais em harmonia com os ecossistemas que as cercam.

O Slow Food protege locais de valor histórico, artístico ou social que formam parte da nossa herança alimentar, reconhecendo a história e a cultura de cada grupo social conforme esta interage dentro de uma rede maior de trocas recíprocas.

Alimentar-se é um ato agrário e consumidores informados e exigentes se tornam co-produtores. Para eles, o alimento deve ser bom, limpo e justo.

Bom … significa apetitoso e saboroso, fresco e capaz de estimular e satisfazer os sentidos.

Limpo … significa produzido sem exigir demais dos recursos da terra, seus ecossistemas e meio-ambiente e sem prejudicar a saúde humana.

Justo … significa respeitar a justiça social, o que significa pagamento e condições justas para todos os envolvidos no processo, desde a produção até a comercialização e consumo.

Ao treinar nossos sentidos para compreender e apreciar o prazer que o alimento proporciona, também abrimos nossos olhos para o mundo.

Slow food tem adeptos em comunidades espalhadas pelo mundo inteiro.

Nestas comunidades, a centralidade do alimento conduz a um tipo de economia que é sustentável e viável, tanto no contexto de países desenvolvidos como nos países em desenvolvimento. Esta economia ‘baseada na natureza’ substitui a mão invisível do mercado por outra mais benevolente, porém rígida, que é da nossa Mãe Terra.
Na rede mundial Slow Food, as comunidades locais de alimento são o núcleo que efetivamente implementam uma abordagem sustentável dentro do conceito ‘bom,
limpo e justo’ em relação à produção alimentar, protegendo a biodiversidade, mantendo vivas as tradições, promovendo a convivência e transmitindo o conhecimento para as gerações seguintes.

Em nosso mundo globalizado de hoje, a economia de mercado está mostrando todas as suas limitações em termos de desperdício e dano ao meio ambiente. As micro economias das comunidades locais de alimento na rede Slow Food trabalham ou possuem o potencial de trabalhar de forma remunerada, que é compatível com seus próprios ecossistemas e culturas.

Fontes: Slow Food Brasil/Manual Slow Food

Anúncios

2 thoughts on “Slow Food

  1. Jairlany Oliveira 29/06/2011 às 1:48 pm Reply

    Fiquei com agua na boca !
    Adorei :D
    Bjoos…
    http://cuidandodovisual.wordpress.com/

    • Obrigada Jairlany pelo seu carinho. Esse é um blog que trata de saúde e bem estar e as últimas notícias no mundo da alimentação serão vistas por aqui. Seja sempre bem vinda.
      Bjs

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: