Como o ômega-3 age nas artérias?

Muito tem se falado sobre ômega-3, seus benefícios, mas como realmente ele age nas artérias?

Os peixes são geralmente ricos em ômega-3, que têm demonstrado benefícios em várias áreas da saúde e  nutrição, tais como contribuir para a prevenção de doenças mentais e retardar  algumas das deficiências associadas com o envelhecimento. Comer atum, sardinha,  salmão e outros peixes de água fria parece proteger as pessoas contra as  artérias obstruídas. O ômega-3 pode também baixar os níveis de  triglicérides, um tipo de gordura frequentemente encontrado na corrente  sanguínea. É comum encontrarmos dislipidemias ( desequilíbrio nas dosagens de gorduras no organismo), alteração dos níveis de colesterol total elevado, colesterol (bom)HDL baixo, colesterol (ruim)LDL alto e triglicerídeos também alto. Esses índices alterados trazem uma série de consequências para a saúde e principalmente par o sistema vascular, obstruindo esse sistema, podendo levar a problemas cardíacos, como infarto, por exemplo.

Uma equipe de investigação  liderada por Richard J. Deckelbaum, diretor do Instituto de Colômbia (USA)  para a nutrição Humana, constatou que uma alimentação rica em óleo de peixe  pode impedir a acumulação de gordura na aorta, a principal artéria que sai do  coração.

O estudo foi realizado em três  populações separadas de ratos: uma população foi alimentada com uma dieta  equilibrada, outra foi alimentada com uma dieta semelhante à “dieta  ocidental” rica em gorduras saturadas, e a terceira população que foi  alimentada com uma dieta rica em ácidos gordos ômega -3.

Investigadores do Laboratório Dr.  Deckelbaum, incluindo Chuchun Liz Chang, um Doutor que estuda ciências nutricionais  e biologia metabólica, descobriram que os ácidos gordos contidos no óleo de  peixe inibem nitidamente a entrada de colesterol “mau”, ou LDL, nas  artérias.

Descobriram que este fato está  relacionado com a capacidade desses ácidos gordos diminuírem acentuadamente a lipoproteína  lipase, uma molécula que retém o LDL na parede arterial. Esta descoberta  provavelmente irá revelar-se muito importante como um novo mecanismo que ajuda  a explicar os benefícios dos ácidos gordos ômega-3 sobre a saúde cardíaca.

Dr. Deckelbaum aconselha os interessados  em aumentar a dose de ácidos gordos ômega-3 a fazê-lo, ou através do  aumento do consumo de peixe, que é o mais adequado, ou através de suplementos nutricionais que  contenham a “cadeia longa” de ácidos gordos EPA e DHA, que são encontrados em  peixes de água fria, citados acima (atum, salmão, sardinha, arenque). É claro que o restante da alimentação também deve ser equilibrada, com uma dieta rica em fibras (vegetais, frutas, alimentos integrais) e completa em relação aos macro- nutrientes (carboidratos, proteínas e gorduras).

A pesquisa foi publicada no dia 5 de  fevereiro de 2009 pela American Heart  Association’s Arteriolosclerosis, Thrombosis and Vascular Biology, e é  apoiado em parte por subvenções provenientes do National Institutes of Health.

Fonte: Science Daily

Anúncios

Etiquetas:, , ,

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: