Insônia e Alimentação

Se as horas de descanso estão insuficientes, o corpo dá sinais que vão além do bocejo e dos olhos cansados. Dormir pouco ou dormir mal pode trazer prejuízos à saúde e ao seu dia a dia. Falta de concentração e de coordenação motora, fome em demasia, e suscetibilidade às doenças são apenas alguns dos alertas de que é preciso dormir.

Os distúrbios do sono pode atingir qualquer faixa etária, desde crianças até idosos. Uma criança pode apresentar déficit  no crescimento e na escola, um adolescente fica mais propenso à depressões e distúrbios mentais.

Muitas vezes as pessoas manifestam algumas alterações em seu organismo como irritabilidade, baixa capacidade de concentração, cansaço, desânimo,etc e não se dão conta que a falta de sono é  a principal causa. Estudos mostram que quem dorme pouco tem mais risco de sofrer acidentes e também de apresentar alterações cardiovasculares.

O sono é o momento de restabelecimento do organismo como um todo.  O corpo nessas horas, não só repousa e os músculos descansam,  mas recompõe o funcionamento orgânico, funções hormonais se regulam, as reações químicas se equilibram, o cérebro  processa tudo o que precisamos guardar para que no dia seguinte estejamos prontos para  absorver novas informações. O organismo se recompõe e se reequilibra.

 Quando não há o descanso completo necessário, todas as atividades ficam comprometidas.

Mas se existe distúrbio do sono como: sono interrompido, insônia, sensação de cansaço após ter dormido, sono inquieto,etc, é bom procurar um profissional para saber a causa e tratá-la.

Mas antes do uso de medicamentos que podem causar dependência, podemos adotar algumas medidas que certamente podem ajudar.

Por exemplo:
* Tentar estabelecer horários para dormir e levantar.
* Evitar dormir durante o dia
* Evitar cafeína ( chá preto, café, refrigerante, mate, etc.) nicotina e álcool ao final do dia ou à noite.
* Praticar exercícios físicos regularmente, mas não em horário próximo ao de ir dormir.
* Jantar pelo menos 2 horas antes de ir dormir. Não comer muito
* Manter o quarto escuro.
* Procurar relaxar antes de dormir, como ler um livro, ouvir uma música relaxante.

Uma fórmula nutricional que possa induzir o sono ainda não foi descoberta, mas sabe-se que uma grande variedade de nutrientes é importante para a saúde do sono e pode auxiliar na cura da insônia.Sabemos por exemplo, que na casca da maçã, existem substâncias que ajudam no relaxamento.

Quando ingerido com amido, o aminoácido triptofano, encontrado em muitos alimentos, pode promover a sonolência, pois sustenta a produção de serotonina, uma substância química cerebral que promove relaxamento e sensação de bem-estar.

A vitamina B6 e o magnésio ajudam a converter o triptofano em serotonina. A vitamina B6 atua na produção de outras substâncias químicas cerebrais que regulam o sono e o humor, como a melatonina e a dopamina. A banana e a batata são ricas fontes de vitamina B6 e magnésio. Acredita-se também que a deficiência moderada de cálcio pode estar relacionada com distúrbios do sono.

Os carboidratos complexos podem contribuir para um sono tranqüilo porque aumentam a absorção de triptofano pelo cérebro.  A tiamina (vitamina B1) ajuda a transformar os carboidratos complexos em energia útil para o organismo e é essencial para o bom funcionamento do sistema nervoso.
Carbohidratos complexos: arroz, pão, batata, massa e fibras

Vitaminas do complexo B: B1 (tiamina) –
As vitaminas do complexo B favorecem a produção dos neurotransmissores cerebrais, essenciais para um sono regular e um estado de espírito sereno. Uma deficiência de folato e vitamina B12 é algumas vezes verificada em pessoas com depressão. O folato é abundante em lentilhas e aspargos, e a vitamina B12 nos frutos do mar, carnes e nas aves magras. O folato e a vitamina B12 atuam junto à vitamina B6 para baixar os níveis de homocisteína, aminoácido que pode estar associado à depressão. A niacina, presente em peixes e aves, também pode ser útil para aliviar a insônia causada pela depressão, embora ainda não se conheçam as evidências clínicas disso.

Sabe-se que os ácidos graxos ômega-3, encontrados em peixes gordurosos (salmão, atum, cavala, sardinha),linhaça e nozes, exercem um papel importante na otimização da atividade mental, que pode influenciar o humor e a insônia. Algumas descobertas sugerem que a depressão pode estar relacionada com a ingestão inadequada dessas gorduras saudáveis.

Amenizar os sintomas da menopausa, uma vez que a queda dos níveis hormonais está freqüentemente relacionada com distúrbios do sono. Alguns estudos sugerem que consumir alimentos ricos em fitoestrógenos ajuda a aliviar a gravidade dos sintomas da menopausa, como os fogachos. Estudos populacionais revelaram que mulheres que consomem regularmente isoflavonas (fitoestrógenos dos derivados da soja) tendem a sofrer muito menos dos sintomas desagradáveis da menopausa.

Mas lembre-se, a orientação profissional é muito importante para adequar a dieta às necessidades de cada um. O ideal é procurar a orientação de um bom profissional.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: