Chá mate e sua aplicação nas dislipidemias

A dislipidemia, alteração dos níveis de lipídeos no sangue, é uma doença que tem atingido um número crescente de pessoas, em função de diversos fatores, principalmente da alimentação, vida sedentária, tabagismo, fatores genéticos, etc. Dentre esses lipídios, pode-se ressaltar o colesterol e os triglicérides.

As dislipidemias trazem uma série de alterações no organismo, como problemas cardíacos (uma das maiores causas de morte no mundo, segundo a Organização Mundial de Saúde), alterações circulatórias, etc. Mas como já falei aqui, exercício e alimentação são fundamentais para a saúde, mas o chá mate tem mostrado, através de estudos randomizados, bons resultados para essas alterações.

Estudo publicado na revista Nutrition por pesquisadores da Universidade Federal de Santa Catarina concluiu que a ingestão de chá mate aumenta a proteção antioxidante em pacientes com dislipidemia.

Inicialmente, os participantes passaram por 30 dias de monitoramento bioquímico, antropométrico e dietético. Após esse período, os indivíduos foram divididos aleatoriamente em três grupos: chá mate (n=23); chá mate associado com intervenção dietética (n=25); e somente intervenção dietética (n=26).

Os pacientes dos grupos chá mate e chá mate mais intervenção dietética receberam folhas picadas de erva-mate comercial torradas e foram instruídos para o preparo das infusões. Após 10 minutos de infusão, o chá foi filtrado e consumido imediatamente, sem açúcar ou quaisquer substâncias para adoçar, sendo orientados para beber 330 ml de chá mate três vezes por dia, principalmente com as refeições (café da manhã, almoço e jantar), totalizando cerca de 1L por dia durante 90 dias.

Os indivíduos dos grupos que foram submetidos a intervenção dietética receberam aconselhamento nutricional para aumentar o consumo de frutas, legumes e verduras. Eles também foram instruídos a reduzir o consumo de alimentos ricos em colesterol, ácidos graxos saturados e trans. Todos os participantes foram avaliados no início do estudo, bem como em 20, 40, 60 e 90 dias após o início do estudo.

Os três tratamentos promoveram o aumento dos níveis séricos de glutationa reduzida (GSH), um marcador de atividade antioxidante, mas o grupo chá mate apresentou um maior aumento quando comparado com os outros grupos (21,7%, p<0,05). Além disso, o potencial antioxidante de redução do ferro (FRAP), outro marcador de atividade antioxidante, aumentou significativamente (p<0,05) apenas nos grupos com chá mate após 90 dias de intervenção. Houve também redução significativa nos níveis de LDL-colesterol apenas no grupo chá mate, que reduziu de 160,2 ± 5,7 mg/dL para 150,1 ± 4,8 mg/dL (p<0,05).

“Os resultados deste estudo demonstraram um aumento na capacidade antioxidante em indivíduos dislipidêmicos após a ingestão de chá mate em longo prazo, sugerindo que este pode apresentar efeitos benéficos na prevenção de doenças cardiovasculares nesses pacientes. No futuro, intervenções dietéticas e estudos de longo prazo devem ser realizados para avaliar o efeito antioxidante de erva-mate na prevenção de doenças cardiovasculares”, concluem os autores.

Etiquetas:, , , ,

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: