Os FITOTERÁPICOS são inofensivos?

Fitoterápicos são medicamentos obtidos a partir de plantas medicinais. Eles são obtidos empregando-se exclusivamente derivados de droga vegetal (extrato, tintura, óleo, cera, exsudato, suco, e outros). Não é objeto de registro como medicamento fitoterápico, planta medicinal ou suas partes, após processos de coleta, estabilização e secagem, podendo ser íntegra, rasurada, triturada ou pulverizada.

Os fitoterápicos, assim como todos os medicamentos, devem oferecer garantia de qualidade, ter efeitos terapêuticos comprovados, composição padronizada e segurança de uso para a população.

A eficácia e a segurança devem ser validadas através de levantamentos etnofarmacológicos, documentações tecnocientíficas em bibliografia e/ou publicações indexadas e/ou estudos farmacológicos e toxicológicos pré-clínicos e clínicos.

A qualidade deve ser alcançada mediante o controle das matérias-primas, do produto acabado, materiais de embalagem, formulação farmacêutica e estudos de estabilidade. (ANVISA)

A utilização de plantas com fins medicinais é uma prática antiga, até hoje empregada tanto na medicina popular quanto na indústria de farmacêuticos.

O conhecimento das características e propriedades das plantas medicinais auxiliou no desenvolvimento de fármacos de grande importância, como exemplo, o ácido acetilsalicílico, a atropina e a morfina. As plantas medicinais têm sido bastante utilizadas, principalmente em países em desenvolvimento, pelo fácil acesso, tradição em seu uso e obstáculos para obtenção e utilização dos medicamentos alopáticos (ROMERO, 2007).

Uma das diferenças entre as medicações e os extratos de plantas está na composição dos extratos, que são uma mistura de variados componentes, que, muitas vezes, atuam em diferentes alvos, enquanto que os fármacos industrializados são em geral preparados com apenas um principio ativo (FERREIRA; PINTO, 2010).

Um grande problema no uso de fitoterápicos está na preparação, que muitas vezes são usados por alguns, misturados a outras substâncias, modificando sua pureza.  Além disso, o risco potencial de toxicidade, de reações adversas, de interação com outras medicações pode ocorrer como consequência do uso indiscriminado e sem o conhecimento necessário acerca das reais propriedades das plantas (VEIGA JUNIOR; PINTO; MACIEL, 2005).

Os fitoterápicos só podem ser usados sob prescrição de profissional e nunca por indicação de amigos, propagandas, matérias em revistas, etc. Cuidado com as fórmulas que reunem muitas substâncias!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: