Análise de Rótulos

 APRENDA A ANALISAR UM RÓTULO

O consumidor deve ficar atento para algumas informações que as vezes passam despercebidas, mas que são muito importantes. A seguir listarei uma série de informações que tem como objetivo trazer ao consumidor conhecimento básico sobre rotulagem de alimentos e bebidas.

Data de Validade: deve estar legível e deve constar pelo menos o mês e o ano para aqueles produtos que tenham duração mínima superior a três meses. É importante lembrar que nos rótulos de alimentos que exijam condições especiais para sua conservação devem ser indicadas as temperaturas máxima e mínima para a conservação do alimento.
Dica: Fique atento(a) com produtos em promoção de preço. Sempre verifique a validade antes de comprar!

Lista de Ingredientes: todos os ingredientes devem constar em ordem decrescente, da respectiva proporção. Observando a lista de ingredientes contida no rótulo dá para saber qual deles predomina no alimento, já que o primeiro da lista é o que está em maior quantidade.
Dica: Evite comprar alimentos que o principal ingrediente é a sacarose (açúcar), gorduras vegetais, etc. Infelizmente esses ingredientes são muito frequentes nos alimentos infantis.

Outro ponto importante é saber observar na lista de ingredientes a presença de aditivos químicos, nem sempre saudáveis. Esses aditivos alimentares são declarados depois dos ingredientes e cada um apresenta uma função específica no alimento ou bebida. Veja alguns dos possíveis aditivos que podem estar presentes na composição do produto : agentes de massa, espumante e antiespumante, umectante e antiumectante, antioxidante, corante, conservante, edulcorante, espessante, geleificante, estabilizante, aromatizante, regulador de acidez, acidulante, emulsionante/emulsificante, melhorador de farinha, realçador de sabor, fermento químico, glaceante, agente de firmeza, sequestrante e estabilizate de cor.

Alguns fabricantes de alimentos e bebidas abusam de tal forma dos aditivos que acabam conseguindo transformar seus produtos em puras misturas químicas. Muitas vezes eles utilizam nos rótulos termos tais como “aroma natural”, “possui 2% de polpa de fruta natural”, entre outros, confundindo o consumidor que acaba acreditando que o produto é natural, quando na realidade não passa de uma mistura artificial, rica em aditivos químicos. É o caso, por exemplo, de certas misturas para sucos e chás que utilizam aromatizantes e corantes artificiais, acidulantes, entre outros em sua composição. Essas substâncias em excesso podem causar sérios prejuízos à saúde, além de simples reações alérgicas. Por isso, todo cuidado é pouco. Procure dar preferência a alimentos mais naturais, sem a presença desses aditivos.

Composição Nutricional: até a publicação da nova resolução em 22/03/01, praticamente não existia nenhuma norma que controlasse as informações nutricionais contidas na rotulagem de alimentos e bebidas. Por isso, é muito comum ainda observarmos rótulos em que a composição de nutrientes simplesmente não aparece, e, quando existe, muitas apresentam dados insuficientes, dispostos de maneira confusa a ponto de criar dúvidas até mesmo entre as pessoas mais entendidas no assunto. Senão, vejamos alguns exemplos comuns: Alguns alimentos informam o teor de nutrientes por 100 gramas, colocando, por exemplo, 0,00800% para o ferro e 0,00135% para a vitamina A. Quem saberia responder rapidamente se esse produto em questão é uma fonte razoável ou não desses dois nutrientes? Sendo assim, qual seria o objetivo do fabricante de inserir no rótulo tal informação, já que o consumidor não consegue calcular ou entender o que querem dizer tais valores?! Não seria mais fácil para nós que esses números viessem expressos com base numa porção individual, mostrando o quanto de ferro ou vitamina A presente nesta porção contribui para minhas necessidades diárias? Do meu ponto de vista, o fabricante as vezes age dessa forma com a intenção de fazer o público acreditar que o seu produto é super nutritivo, dificultando qualquer tentativa de compreensão por parte do consumidor. A nova resolução vai impedir atitudes como essa.

Outro exemplo de confusão são certos termos empregados nas tabelas de informações nutricionais. Você sabia que glicídios são carboidratos (açúcar e amido), lipídios é o mesmo que gordura e protídios é sinônimo de proteínas? E se você se deparar com a expressão “gordura saturada”, você saberia interpretá-la?? Pois saiba que a gordura saturada é aquela que está associada a níveis elevados de colesterol no sangue e a riscos maiores de doenças do coração, derrame cerebral e problemas circulatórios. Portanto, se um alimento apresentar teores elevados desse tipo de gordura, fuja dele!

Os exemplos abaixo, foram copiados do site da empresa que é honesta em seus rótulos.

A bebida Nestea contém a seguinte informação de ingredientes:

Água, açúcar, extrato de chá preto, acidulantes ácidos cítrico e fosfórico, aroma sintético idêntico ao natural, sequestrante hexametafosfato de sódio e sorbato de potássio e antiespumante dimetilpolisiloxano. NÃO CONTÉM GLÚTEN.

Repare a quantidade de sódio em MEIO tablete. Isso é um tiro nos hipertensos.

Rótulo de Doritos: salgadinho para crianças. O pacote tem 4,4 vezes a quantidade da porção (110g)

Informação Nutricional porção de 25g
Quantidade por porção   %VD*
Valor calórico 125 kcal 6
Carboidratos 14g 5
Proteínas 1,9g 3
Gorduras totais 6,7g 12
Gorduras saturadas 1,5g 7
Gorduras Trans 0g **
Fibra alimentar 1,1g 4
Sódio 182 mg 8
(*)Valores Diários de Referência com base em uma dieta de 2.500 calorias.

Rótulo do leite condensado: repare na quantidade da porção. Uma lata tem 395g, ou seja, quase 20 vezes essa porção. Então, cada nutriente deve ser multiplicado por 20, caso seja consumida a lata inteira. Isso é comum entre os adolescentes.

Fique esperto e exija seus direitos
Desde o dia 22/09/01 todos os rótulos já estão dentro dos parâmetros exigidos pela nova resolução. Portanto, você consumidor deverá ficar atento e exigir que isso realmente seja cumprido. Se tiver dúvidas procure pelos movimentos de defesa do consumidor ou procure obter informações com a comunidade científica de alimentação e nutrição. Não se deixe enganar por afirmações feitas em rótulos que iludem e confundem você. Veja o caso de muitos óleos e produtos vegetais que as vezes recebem a classificação de “sem colesterol”, um procedimento que jamais deveria ser permitido, porque o colesterol é encontrado somente em produtos animais e não está presente em produtos vegetais. O mesmo vale para afirmações feitas quanto à saúde. Todas elas devem ser baseadas em evidências aceitas por especialistas qualificados. Assim, antes que um fabricante possa afirmar que um produto diminui o risco de doença do coração, por exemplo, este benefício deve ser comprovado por estudos científicos.

Para finalizar, gostaria de deixar um telefone e o endereço de um site para aqueles que queiram se aprofundar mais no assunto. O 0800-611997 pertence ao Disk Saúde, do Ministério da Saúde, que tem a função de esclarecer dúvidas de todas as pessoas interessadas em qualidade de vida. O http://www.anvisa.gov.br é o site da Vigilância Sanitária onde a resolução 40 poderá ser observada com detalhes. Para você localizar a nova resolução, visite o campo alimentos.

 Veja também nesse site a matéria sobre Aditivos nos Alimentos

 

3 thoughts on “Análise de Rótulos

  1. katia 06/10/2010 às 3:01 am Reply

    Não temos o hábito de ler rotulos. Vou prestar mais atenção.

  2. lenitamunhoz 06/10/2010 às 3:05 am Reply

    Fico ate assustada com alguns rotulos, pois todos os ingredientes são artificiais. Não ha um so natural.

  3. Luciana 30/12/2013 às 8:40 pm Reply

    Olá,Lenita, espero que tudo esteja bem contigo, aproveito e te desejo tudo de bom nesse ano novo.
    Estava lendo sobre rótulos por que estamos aqui em casa num dilema.
    Minha filha desde que nasceu tem baixo peso, apesar de comer bem, e isso sempre ta sendo investigado pela pediatra.
    Mas como ela fez 3 anos , a médica resolveu pedir uns exames de alergias e sangue oculto nas fezes que infelizmente deu positivo pra sangue oculto e alergia a leite de vaca moderado 0,34.Ela pediu uma dieta retirando o leite , comentou sobre lactose, nesse mês de janeiro e após essa dieta fazer mais exames…mas tenho ouvido que tem diferença entre lactose e alergia a proteína do leite e ficado em dúvida sobre o que de fato minha filha tem.
    Nesse caso dos rotulos devo olhar traços de leite e lactose pra os dois casos ( alergia e intolerância)?

    Estou pensando em marcar uma nutricionista por que estou me sentindo insegura sobre variados alimentos, penso também se o leite de soja supre as necessidades de cálcio.Seria interessante eu tomar essa decisão ou a pediatra bastaria, ou até mesmo existe outra especialidade ?

    Agradeci a Deus por lembrar de vc nesse momento, que oferece de forma tão amorosa sua ajuda. Deus te abençoe.
    Fico no aguardo! Bjuuuuuuuuuuuuuu

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: