Emagrecimento

 COMER FORA – COMO DRIBLAR AS ARMADILHAS?

Hoje a vida de todos é muito corrida e o tempo parece ficar cada vez mais escasso. Mas para que estejamos aptos a “correr”, é necessário que nosso corpo esteja preparado e com saúde. E para buscarmos saúde, sem dúvida alguma, começamos por hábitos saudáveis e uma alimentação equilibrada. Aquilo que ingerimos é muito mais importante do que se imagina. A alimentação tem papel fundamental nesse processo e através dela determinamos como viver.

Os restaurantes a quilo ou self-service, surgiram para facilitar a vida das pessoas, encurtando o tempo na hora da alimentação. São boas opções para quem tem pressa, normalmente mais econômicos e com muita variedade. Aí é que mora o perigo.

Em meio a tantas opções de salgadinhos, carnes, massas, frituras, a verdade é que na hora da fome nós comemos primeiro com os olhos e não racionalizamos muito o que colocar no prato.

Por isso aqui vão algumas dicas:

1) Evite rodízios (veja matéria nesse site)

2) Tome um bom café da manhã. Não pule essa refeição. Ela é uma das mais importantes do dia.

3) Não fique muitas horas sem se alimentar.  Leve uma maçã ou outra fruta fácil de comer para o trabalho para o meio da manhã. Lembre-se: para todos nós, o importante é alimentar-se de 3 em 3 horas de forma regular e equilibrada. Dessa forma o organismo trabalha melhor. Essa também é uma ótima opção para quem quer emagrecer. Mantém o metabolismo ativo. Não é comer muito, mas pouco várias vezes (até 6 refeições ao dia: desjejum, meio da manhã, almoço, lanche , jantar e ceia= comer pouco varias vezes equilibradamente). Consulte um nutricionista para uma boa e segura orientação.

4) Escolha dos alimentos no buffet:

  • Hortaliças: comece pelas saladas escolha 2 verdes (um verde mais escuro e outro mais claro) e 2 de outra cor (amarelo da cenoura e roxo da beterraba por exemplo).
  • Varie os alimentos todos os dias, não escolha sempre a mesma coisa.
  • Cereais: Se possível, prefira arroz integral e quando optar pelo arroz, evite massa e batatas ou aipim ou inhame. Todos são fontes de amido. Basta uma. Essa pode ser uma armadilha.
  • Escolha uma leguminosa: feijão, ou grão de bico, ou ervilha, ou lentilha, ou ainda vagem
  • Evite os salgadinhos, frituras e preparações muito gordurosas. O efeito ao longo dos dias será desastroso não só em acúmulo de calorias e aumento de peso, como também elevação do colesterol, triglicerídeos, gorduras totais, gerando hipertensão, etc. Essa é outra armadilha.
  • Opte por apenas uma fonte proteica: ou carne, ou frango, ou peixe, ou ainda ovo
  • O ideal é não beber durante as refeições mas, se esse é um hábito difícil de abandonar, prefira água ou suco de fruta ao invés de cerveja ou refrigerantes.
  • Sobremesas? Se não consegue abrir mão apenas fruta, oK?

Podemos comer de tudo, desde que comedidamente. Há alimentos que são saudáveis e outros nem tanto, mas é o dia-a-dia que vai definir a qualidade de nossa saúde. Por isso, é bom cuidar dela diariamente.

Não se esqueça, pratique exercícios.

 A ESTABILIZAÇÃO DO PESO APÓS UM PERÍODO DE DIETA

A estabilização do peso após um período de dieta é comum e isto significa uma adaptação do organismo à restrição de calorias. Nos referimos exatamente ao fato que a perda de peso, que vinha progredindo, dá uma parada e, se isto fosse representado em um gráfico, veríamos que a linha que vinha descendo (fase de perda de peso), passa a ficar quase horizontal, ou seja, faz uma estabilização.

O desenvolvimento humano nos ajuda a entender esta reação do organismo: ao longo do tempo houve grandes períodos de falta de alimentos. Durante os mesmos, o ser humano não teria sobrevivido caso não tivesse mecanismos de guardar energia, sob a forma de gordura, nos defendendo assim de definhar até a morte por falta de comida. Por este motivo, toda vez que a oferta de alimento está diminuída, como ocorre quando se faz uma dieta, chega um ponto em que a pessoa pára de perder peso, atingindo um ponto de equilíbrio em que não é gasta mais energia do que a que é ingerida. O tempo no qual isto ocorre é variável e depende de inúmeros fatores, mas é comum ocorrer pela primeira vez após cerca de três meses de dieta (a pessoa pode apresentar mais de um período de estabilização).

Mudanças corporais e hormonais também participam desta estabilização do peso, sempre na tentativa de poupar o organismo da privação de alimentos. Por exemplo, a leptina é um hormônio produzido pelo tecido adiposo (gorduroso) que atua na regulação do peso tanto agindo na ingestão de alimentos quanto no metabolismo celular. Assim, uma das suas funções é fazer o cérebro entender a sensação de saciedade. Isto quer dizer que, após a ingestão de alimentos, a produção de leptina faz o organismo entender que foi alimentado e que a pessoa não precisa comer mais. Se este hormônio não age adequadamente, o organismo não tem a percepção adequada de saciedade.

Com a diminuição do tecido adiposo decorrente da própria dieta, a produção de leptina diminui, até que, em certo ponto, é insuficiente para produzir esta sensação de saciedade, fazendo com que haja pequenos “escapes” e a pessoa fuja da dieta.

Diante do efeito estabilizador, a primeira e mais importante ação é persistir na dieta. Com o tempo o organismo volta a trabalhar com os níveis hormonais mais baixos, reiniciando um ciclo de emagrecimento. Outro ponto importante é manter ou aumentar, responsàvelmente, a atividade física às vezes com pequenas mudanças nos exercícios realizados, visando a manutenção da massa muscular, extremamente importante para o gasto de calorias.

O diário alimentar, assim como de atividade física, pode ser um grande aliado, pois quem está comendo além do necessário, geralmente, não nota isto. Através do diário toma consciência dos resvalos cometidos em relação ao programa estabelecido com seu médico. Da mesma forma, este diário pode mostrar ao seu médico quais os pontos de maior dificuldade em serem seguidos, assim como os horários em que a pessoa tende a comer mais, auxiliando-o na revisão constante do tratamento.

DIÁRIO ALIMENTAR pode ajudar muito!

 

Na prática clínica, tenho observado, que o diário alimentar ajuda muito o paciente a entender seus hábitos alimentares e, por isso, constatar a necessidade de mudá-los.

Quando anotamos tudo que comemos durante o dia, vemos  com clareza como nossa alimentação pode ter sido deficiente ou excessiva, ou ainda as duas coisas, pois comer muito, não significa “alimentar-se”  nutricionalmente falando. Através desse registro é possível verificar o quanto a alimentação está rica em gorduras, ou açúcar, ou pobre em frutas, ou verduras, ou legumes e assim por diante. É possível também, ver que em determinados dias (ou todos), você comeu em excesso ou não. Ou ainda verificar que está comendo pouco e mal, por exemplo.

Esse diário é muito mais significativo do que se imagina. É claro que ninguém precisa fazer isso a vida toda, mas se disponibilizar por 10-15 dias, 1 semana que seja, já terá uma idéia de como se alimenta.

Comece a anotar desde a hora que se levanta.  Tudo o que comer durante o dia, deverá ser devidamente registrado nesse diário.

Que tal tentar? Não custa tanto assim e vale a pena o resultado.. Mas não se esqueça, anote tudo mesmo e procure não deixar para fazer isso só à noite, pois você pode esquecer alguma coisa.

CIRURGIA BARIÁTRICA

A obesidade é em síntese, uma questão que não se resume em uma ingesta de calorias maior do que o gasto do organismo. Mas sim em desequilíbrio do organismo, onde as reações químicas ncessárias para se absorver os nutrientes e nutrir as células, não está acontecendo de forma adequada, gerando uma série de procssos inflamatórios e desequilibrando as funções orgânicas. Embora outros fatores sejam importantes na etiologia da obesidade, como fatores genéticos e hábitos de vida mais saudáveis que nos proporcionem menor exposição a toxinas, a maior eficiência de nosso sistema digestivo e principalmente funcionamento intestinal, são vitais para a saúde. A prevalência desse transtorno vem crescendo acentuadamente nas últimas décadas e os custos com suas complicações atingem cifras de bilhões de dólares (publicado na Revista Veja).

Índice para Obesidade

Para calcular a massa corporal de um indivíduo, basta utilizar o IMC (Indice de Massa Corporal ). Esse índice é calculado dividindo-se o peso corporal, em quilogramas, pelo quadrado da altura (Peso/altura x altura) e é muito utilizado na prática clínica. A classificação dos resultados, na tabela abaixo, foram definidas pela Organização Mundial de Saúde.

Quanto a gravidade, a OMS define:

peso inferior IMC entre 17 e 19

peso normal IMC entre 20 e 24

sobrepeso: IMC entre 25 e 29

obesidade grau I quando o IMC situa-se 30 e 34,9

obesidade grau II quando o IMC está entre 35 e 39,2  e

obesidade grau III quando o IMC ultrapassa 40 (obesidade mórbida).

Em que situação é indicada a cirurgia?

A presença da obesidade grau III está associada a piora da qualidade de vida, a alta freqüência de comorbidade (doenças associadas ao aumento de peso), onde foram observados a redução da expectativa de vida e o fracasso de diversos tratamentos. Nesses casos, pode haver indicação cirúrgica.

Essa indicação deve basear-se numa análise de múltiplos aspectos clínicos do paciente. A avaliação desses pacientes no pré e pós-operatório deve ser realizada por uma equipe multidisciplinar que envolve endocrinologistas, nutricionistas, cardiologistas, pneumologistas, psiquiatras, psicólogos, cirurgiões e anestesistas.

Isso quer dizer que a cirurgia bariátrica, não deve atender a propósitos estéticos e sim a um último recurso para se manter a vida e com mais qualidade.

Quem são os candidatos ao tratamento?

A seleção de pacientes requer um mínimo de cinco anos de evolução da obesidade com fracasso dos métodos convencionais de tratamento realizados por profissionais qualificados.

São os pacientes com o IMC maior que 40 ou com IMC superior a 35, associado a comorbidades tais como apnéia do sono, diabetes mellitus tipo 2, hipertensão arterial severa, dislipidemias resistentes (colesterol, triglicerídeos, proporção entre LDL e HDL)  e dificuldades de locomoção, entre outras situações de difícil manejo clínico e, principalmente, quando a vida do paciente obeso está em risco elevado.

A necessidade de avaliação clínica, nutricional, laboratorial e psiquiátrica de forma regular nos períodos pré e pós operatório, é fundamental. Contudo, os critérios psicológicos na seleção de candidatos a estes procedimentos, não têm sido muito observados.

Dados da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM) mostram que foram realizadas 60.000 operações no país no ano passado — alta de 275% em relação a 2003, ano em que foram coletados os primeiros registros, e de 33% em relação a 2009. Pelo Sistema Único de Saúde (SUS), mesmo com filas de espera de até oito anos, o número de cirurgias cresceu 23,7% entre 2007 e 2009, chegando a 3.681 ocorrências. Os números fazem do Brasil o segundo colocado no ranking de cirurgias bariátricas, atrás apenas dos Estados Unidos, com 300.000 procedimentos em 2010. E esses números devem aumentar muito no ano de 2011.

Como é feita a cirurgia Bariátrica?

O controle da obesidade através do procedimento cirúrgico é feito por um mecanismo de restrição e/ou má-absorção dos alimentos ingeridos. Segundo o Consenso Latino Americano de Obesidade, são reconhecidas três técnicas cirúrgicas: gastroplastia vertical com bandagem (GVB), Lap Band e gastroplastia com derivação gastro-jejunal.

Em 1982 foi introduzida por Mason a técnica cirúrgica de gastroplastia vertical com bandagem. Embora seja uma cirurgia restritiva, esse procedimento é simples, rápido e com baixos índices de complicações e mortalidade.

Técnicas Cirúrgicas ( Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica – SBCBM)
As técnicas abaixo relacionadas são atualmente reconhecidas e recomendadas mundialmente, cujos resultados e riscos estão disponíveis em consistentes publicações médicas científicas. Podem ser realizadas por laparotomia ou laparoscopia. Classificam-se pelo mecanismo de funcionamento:

Cirurgias Restritivas
. Bandagem Gástrica Ajustável
. Gastroplastia Vertical com Bandagem

Cirurgias Mistas
-Predominantemente Malabsortivas:
. Derivaçao Biliopancreática com gastrectomia horizontal, com ou sem preservaçao gástrica distal.
. Derivaçao Biliopancreática com gastrectomia vertical e preservação pilórica.

– Predominantemente Restritivas:
. Derivações Gástricas em Y de Roux, com ou sem anel de contenção.

Balões Intragástricos: tem utilização reconhecida como método terapêutico auxiliar para preparo pré-operatório.

Fobi-Capela

                                                                      

       Mason                                           Duodenalswitch3

Capela

Banda gástrica

Este consenso entende que os demais procedimentos e técnicas cirúrgicas para o controle da obesidade não relacionadas neste documento não apresentam indicação atual de utilização ou se encontram em fase de estudos, sem apresentar até o momento documentação científica consistente que permitam sua realização fora de protocolos de pesquisa devidamente regulamentados pelo Conselho Nacional de Ética em Pesquisa (CONEP), em conformidade com a Resolução 196 de 1996 do Conselho Nacional de Saúde ou outra que venha substituí-la ou complementá-la. (SBCBM)

Busque muitas informações antes de optar pela cirurgia. Essa é uma decisão muito importante e envolve muitas variáveis e desdobramentos.

Repetindo, a cirurgia bariátrica é indicada apenas em casos extremos, onde o paciente corre risco de vida pelas consequências da obesidade e quando já falharam todas as técnicas e procedimentos para que ele tivesse redução de sua massa corporal. Não se deve optar pela cirurgia apenas para evitar o sacrifício das restrições alimentares, porque elas permanecerão e no início ainda mais intensas.

AÇÚCAR

Uma das coisas mais estimulantes do apetite , ou melhor, da vontade de comer, é o açúcar. Ele entra rapidamente na corrente sanguínea dando uma sensação de bem estar e satisfação. Porém, essa sensação é muito rápida e quando ela passa, o indivíduo tem a impressão de estar com fome.  O que acontece é que o funcionamento do organismo está em sintonia com o aumento nos níveis de dopamina e serotonina,  substâncias produzidas no cérebro e que estão associadas ao prazer e ao bem-estar. Por causa dessa sensação de prazer que ele provoca, é que as pessoas querem comer mais, confundindo essa vontade com fome. Assim, entra-se num círculo vicioso, onde come-se mais e geralmente carbohidratos e de novo tem mais vontade de comer, principalmente se foi ingerido carbohidrato simples.

O açúcar pode de fato viciar, mas a dependência criada pela sensação de bem-estar e prazer decorrente do consumo de açúcar é mais de ordem psicológica do que química.

Hoje, come-se açúcar não apenas em excesso, mas em concentrações com alto grau de pureza e sem a presença das fibras e vitaminas na dieta alimentar.

Além desse fato citado acima, o açúcar é um alimento pró-inflamatório, o que vai dificultar ainda mais o processo de emagrecimento.

Quer emagrecer? Comece diminuindo drasticamente a quantidade de açúcar ingerida. Esse sabor tão doce, pode sim trazer resultados amargos para sua saúde. Pense nisso e lembre que o prazer de 5 minutos da ingestão desse tipo de alimento, pode trazer consequências que podem durar muitos meses e até anos.

A Busca pelo Corpo Perfeito

Por Lenita Munhoz

No mundo de hoje, onde tudo precisa ser rápido e ágil, faz com que o ser humano se torne uma máquina em busca de resultados.

Isso também se aplica em relação à perda de peso. Na grande maioria das vezes, as pessoas levam muitos anos e em alguns casos muitos meses, aumentando seu peso. Mas na hora de eliminar os quilos a mais, precisa ser rápido: 1 semana, 10 dias no máximo.

Não é difícil eliminar dessa forma. Basta uma restrição alimentar drástica, alguns medicamentos quase assassinos de sua saúde e pronto! Você perdeu muitos quilos rapidamente e se acha maravilhosa. Mas tenho uma triste notícia pra te dar. Em pouco tempo você os recuperará e vai assim num efeito sanfona infindável. E sua saúde, como fica?

Existe uma matemática infalível: se você ingere mais calorias do que gasta, esse excedente vai se acumular em seu corpo sob a forma de gordura.

Salvo em alguns casos, onde há realmente um problema hormonal, que corresponde a um percentual muito pequeno, a maioria é por alimentação inadequada e hábitos sedentários.

Cada caso é um caso, por isso, a consulta a um nutricionista é importante, para que se aplique o tratamento adequado e não só se reduzam pesos e medidas, mas principalmente se garanta a saúde e não se recupere mais os quilos eliminados.

Qualquer boa restrição calórica faz você perder peso, mas realizar sua necessidade de forma segura e definitiva, vai muito além disso. Além de suas características pessoais, seu estilo de vida e suas preferências e rejeições alimentares, é necessário que se avalie seus processos inflamatórios, suas condições orgânicas através de exames laboratoriais e sua condição física, em função de uma análise antropométrica e hábitos regulares. Se houver doença associada, haverá encaminhamento para um médico, que junto com o trabalho da nutricionista vai recuperar a saúde do paciente e dar a ele resultados consistentes e seguros.

Além disso, essa busca pelo corpo perfeito, pode levar a distúrbios emocionais sérios, como depressão, anorexia, bulimia, (ver em transtornos alimentares nesse site), etc.

Como pode observar são muitas as variáveis para se chegar ao resultado desejado de forma que você não venha a perder os quilos e junto com eles a sua saúde.

Isso deve ser feito através de um profissional sério e consciente de sua responsabilidade com a vida humana.

Saúde não é comércio,  saúde é vida e precisa ser respeitada acima de qualquer interesse ou necessidade pessoal.

Anúncios

4 thoughts on “Emagrecimento

  1. mariana 03/02/2011 às 9:11 pm Reply

    Quero registrar que estou fazendo o diário e fiquei mesmo surpresa nos primeiros dias, ao constatar que comi pouca ou nenhuma verdura ou legume, apenas 1 fruta e como não bebi quase líquidos. Valeu mesmo a dica e essa é uma excelente forma de nos educarmos. Amo esse blog. Parabéns pelas informações tão legais sempre.

    • Lenita Munhoz 04/02/2011 às 12:23 pm Reply

      Que bom Mariana. Funciona mesmo e ajuda bastante não só para melhorar os hábitos alimentares, como também nos processos de emagrecimento. Continue, até que isso seja automático e você não necessite mais das anotações. Um grande abraço e obrigada pela participação.

  2. karina 11/02/2011 às 5:53 pm Reply

    Que bom ler essa matéria, pois ja estava abandonando tudo, achando que meu sacrificio era em vão. Estabilizei o peso e vamos combinar que é desanimador, mas agora estou decidida a continuar. Valeu o esclarecimento.

  3. fernanda 11/02/2011 às 5:55 pm Reply

    Vou começar amanhã mesmo meu diario. Muito boa essa idéia.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: